O seu site de Tecnologia Digital aplicada à Música. Aqui você encontra informações técnicas relativas à construção de seqüências MIDI, gravações de áudio, loops, compactação de arquivos, manuais traduzidos para o português de softwares musicais consagrados, download de softwares, plug-ins e utilitários para quem utiliza a informática como ferramenta musical, além das notícias mais atuais do que está acontecendo no mundo da música digital.

Inicial Guias e Vídeos em Português Revista Eletrônica Fale Conosco

CURSOS EM VÍDEO
CUBASE
SONAR X1
SONAR 7
SONAR 6
SONAR 5
SONAR 4
MASTERIZAÇÃO
MIXAGEM
REASON
SOUND FORGE 9
SOUND FORGE 8
A ARTE DA MIXAGEM
FINALE 2007
ADOBE PREMIERE PRO
AUDITION
PHOTOSHOP
AFTER EFFECTS

MANUAIS
CUBASE 5
SONAR X1
LOGIC PRO 9
SONAR 8
SONAR 7
SONAR 6
SONAR 5
SONAR 4
SONAR 3
SONAR 2 XL
CAKEWALK PRO AUDIO 9.0
PRO TOOLS M-POWERED
PRO TOOLS HD
PRO TOOLS MIX
PRO TOOLS TDM
PRO TOOLS LE
CUBASE 3 SX/SL
NUENDO 3
ABLETON LIVE 7

ABLETON LIVE 6
ABLETON LIVE 5
REASON 4
REASON 3
REASON 2.5
MAGIX SAMPLITUDE
FRUITYLOOPS
SOUND FORGE 10
SOUND FORGE 9
SOUND FORGE 8
SOUND FORGE 7
SOUND FORGE 6
SOUND FORGE 5
SOUND FORGE 4.5
ACID PRO 6

ADOBE PREMIERE PRO
SONY MEDIA VEGAS 8
SONY MEDIA VEGAS 7
SONY MEDIA VEGAS 6
SIBELIUS 5
DVD ARCHITECT 4

GVOX ENCORE
MELODYNE EDITOR
ANTARES AUTO TUNE
WAVES RESTORATION
NI ABSYTH
NI AKOUSTIK PIANO
NI B4
NI ELEKTRIK PIANO
NI BATTERY 3
NI KONTAKT

M-AUDIO AUDIOPHILE 2496
M-AUDIO DELTA 1010LT
REAPER
A ARTE DA MIXAGEM
A ARTE E A CIÊNCIA DA MASTERIZAÇÃO


CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES: 

1. GUIAS E TUTORIAIS GRATUITOS - Clique aqui.
2. Todos os Guias e Vídeos comercializados e disponibilizados gratuitamente em nosso site  são produzidos por nossa equipe.
3. Todos os Guias e vídeos foram produzidos baseados em Softwares com suas VERSÕES OFICIAIS E REGISTRADAS.
4. Todos os Guias são fornecidos em formato PDF, para serem lidos/impressos com o utilitário  Adobe Acrobat Reader versão 7.0 ou superior.
5. As aulas em vídeo são em formato AVI, codec de licença livre, e podem ser assistidas em  qualquer player compatível (Windows Media Player, MPlayer, QuickTime e    outros). 
6. A entrega dos Guias pode ser feita por remessa de link para efetivação de download, quando esta opção estiver disponível, por intermédio de mensagem de correio eletrônico.
7. A entrega dos vídeos é feita por Remessa Postal Registrada.

 

MIDI - Ligando ao teclado


Ligações mais comuns:

a. Teclado com teclado:

 
Esta foi a primeira coisa que se pensou quando se criou o padrão MIDI. Usar um teclado para tocar outro. Vão algumas considerações práticas:

 

  • O teclado que vai comandar vai enviar as informações; portanto ligamos o cabo no conector MIDI OUT deste, e MIDI IN no teclado que vai receber as informações e ser comandado.

     

  • Como o padrão MIDI só envia comandos, para ouvir o som de cada teclado devemos ligar a saída de som de cada um e operá-las individualmente.

     

  • O fato de termos o segundo teclado ligado em MIDI não impede que ele toque sozinho. Caso façamos isso, ele responderá tanto pelo seu próprio teclado bem como as mensagens MIDI provenientes do primeiro teclado. O único limite é a sua própria polifonia.

     

  • Caso o primeiro teclado tenha sequencer, com este tocando vários canais independentes de instrumentos, o segundo teclado tem de estar no modo Omni off, modo muitas vezes chamado de "Multi". Atualmente este modo é padrão nos teclados.

     

  • O segundo teclado não afetará em nada o funcionamento do primeiro. Aliás, o primeiro teclado não tem como saber se existe outro teclado ligado ou não na saída MIDI. Ele apenas manda o comando, independente de estar conectado.

     

  • Lembre-se que mesmo se o primeiro teclado tiver uma polifonia restrita, isto não o impedirá de enviar comandos de notas tantos quanto forem requisitados. O padrão MIDI não depende da polifonia interna de quem o está gerando. Por exemplo, se tocarmos 30 notas e o teclado gerar apenas oito, ele enviará as 30 assim mesmo, e deixará soando as 8 notas internamente conforme seu critério de prioridade de nota.

     

b. Teclado com computador:

 


Não é muito diferente do que foi visto acima, porém assumindo que o computador não tem som interno, precisamos:

 

  • Ligar os dois cabos MIDI, um para mandar comandos para o computador, outro para que ele mande de volta para o teclado. Se quisermos apenas que o computador ‘toque’ o teclado, então bastaria um cabo (out no computador, in no teclado)

     

  • O que se passa no computador depende de que programa estamos usando. No caso do programa ser um sequencer, provavelmente vamos colocar nossas mãos mais tempo no teclado do computador no que o do synth. Isso porque o programa pode fazer diversas tarefas automáticas, como selecionar o canal MIDI que desejamos trabalhar, aumentar ou diminuir o volume do timbre daquele canal, mudar a quantidade de efeitos, pan, etc. Lembre-se, porém que a maioria destas tarefas pode ser feita pelo painel do próprio teclado. O uso do computador não fará do synth algo a mais que ele não é, apenas poderá tornar o trabalho repetitivo mais ágil (isso depois de estarmosbem familiarizados com o computador e seus programas).

     

  • Por fim, digo que a maioria dos programas para computador normalmente é bem mais eficiente do que o seu equivalente interno nos teclados. Isso é verdade especialmente com sequencers, que ficam restritos à memória do synth, seu visor normalmente pequeno, em oposição à tela do computador, e à velocidade de processamento, que sempre são maiores mesmo no mais lento dos computadores. O investimento inicial na computa de um computador é bem grande, daria para comprar outro teclado. Porém, ultrapassada esta dificuldade, e com o sistema funcionando, são grandes os benefícios proporcionados ao músico.

 

por Theophilo Augusto Pinto



voltar à página inicial de MIDI



Inicial             |               Guias e Vídeos em Português                 |                  Revista Eletrônica                 |                Fale Conosco

Copyright © 2011 www.musicaudio.net. Rio de Janeiro - Brasil