O seu site de Tecnologia Digital aplicada à Música. Aqui você encontra informações técnicas relativas à construção de seqüências MIDI, gravações de áudio, loops, compactação de arquivos, manuais traduzidos para o português de softwares musicais consagrados, download de softwares, plug-ins e utilitários para quem utiliza a informática como ferramenta musical, além das notícias mais atuais do que está acontecendo no mundo da música digital.

GUIAS E VÍDEOS EM PORTUGUÊS   DICAS E ARTIGOS ON-LINE     DOWNLOADS     AUDIO E MIDI NO LINUX   BALCÃO DE TESTES     NOVIDADES    FALE CONOSCO

 

 

Introdução aos Microfones (I)

 

 

 

 

 

Índice de Matérias parte I

1-      Introdução

2-      O que é um microfone?

3-      Tipos de microfones

4-      Dinâmicos

5-      Condensadores

 

 

 

1-Introdução

O mundo dos microfones é extenso e nada fácil de compreender, devido a uma grande variedade de tipos, modelos e marcas existentes hoje em dia no mercado. Todos eles giram em torno das mesmas características, + ou - 3 dB (+ ou - ganho em certas freqüências), sensibilidade ( + ou - captação segundo intensidade), qualidade , resposta de freqüência, etc.

Nestes 4 capítulos trataremos de explicar as bases e passos básicos para poder utilizar corretamente o microfone em um HOME STUDIO atual (coisa nada fácil), haja vista a existência de uma grande variedade de instrumentos a serem gravados, condições acústicas as quais deverão ser adaptadas, material diverso de gravação que dispomos e material de reprodução e uma variedade enorme de microfones. Por isso iremos generalizar em quase todos os assuntos que serão expostos e trataremos de aplicar partes comuns a uma mesma definição. 

1.1 O que é um microfone?

Microfone é o termo genérico que usamos para falar dos elementos que transformam a energia acústica, (som - fonte origina: guitarra, voz), em energia elétrica, (um sinal de áudio - seja Digital ou analógico).

O microfone é um tipo de transdutor, um dispositivo, que transforma energia de uma forma a outra.

Ou seja, estas teorias afirmam que o microfone se usa para amplificar um sinal de áudio original, o qual reproduziremos ou copiaremos para outra por meio de dispositivos elétricos, considerando que nunca voltarão a ser como eram originariamente (por melhor que o computador seja, nunca se conseguirá o som original que a fonte emite), ou seja, não existe o micro perfeito e nunca reproduziremos o som original da fonte, mas dependendo do computador conseguiremos mais qualidade.

Tudo aquilo que nos cerca, o que vai afetar a gravação, deve ser levado em consideração para a escolha do microfone, a ambiente, cabos, mesa, conversores, dinâmica, acústica da sala de captação, etc…

E aqui é onde podemos aplicar uma das máximas ou mandamentos do mundo sonoro:

O Seu equipamento soará de acordo com o pior equipamento que exista em seu setup.

Ou seja, que ao adquirir um microfone ou qualquer componente de nosso estúdio teremos que levar em consideração que todos os elementos do estúdio sejam semelhantes uns aos outros já que apesar de comprarmos uma excelente microfone, ou registro do som não dependerá somente da qualidade desse microfone, e sim de toda a cadeia de registro sonoro que possuirmos.


 

 

 

 

2- Tipos de microfones

Dito isto, afirmamos que a qualidade gerada de um microfone em sua representação elétrica do som depende em grande parte do:

Método em que se faz a conversão de energia

Em outras palavras, a depende do tipo de microfone, ou seja, da membrana que ele utiliza. Historicamente tem havido muitos modos de captação do som e hoje em dia existem no mercado uma grande variedade de tipos de microfones e uma grande parte desta pode ser usada em uma mesma situação.

Os 6 tipos de microfones que existem na atualidade são:

·        DINÂMICOS

·        CONDENSADOR

·        CONDENSADOR – ELETRETO

·        FITA

·        CARBONO

·        PIEZO-ELÉTRICO


Destes 6 tipos de microfones, os mais usados (mais ou menos 95 %) e os que com certeza você ouviu mais são os dinâmicos e os de condensador, dos quais faremos uma pequena introdução antes de adentrarmos a fundo em todos os tipos de microfone.


2.1 DINÂMICOS

É o tipo mais comum e usado atualmente. Diremos que o microfone dinâmico é igual a um pequeno alto-falante, (certos elementos dinâmicos são usados em ambos os fins: microfones e alto-falantes, como por exemplo, em intercomunicadores).

Os microfones dinâmicos são os mais versáteis, já que são os mais resistentes aos golpes, os que menos captam sons de ambiente, visto que não são tão sensíveis como os a condensador (por estas duas características são os reis do “a vivo”), por outro lado se sacrifica a qualidade.

Os microfones dinâmicos podem ser usados em todas as aplicações, tanto “ao vivo” como em estúdio, e por que não os que mais usaremos no "Home Studio" sem dúvida alguma, visto que nosso Home Studio não conta com um isolamento acústico, e esse tipo de microfone capta muito pouco ruído ambiente. Os microfones dinâmicos não são os melhores quando nos referimos à qualidade, que fique claro, não poderão ser nunca comparados ao microfones  de condensadores, mas em uma razão custo/benefício ele possuem um grande ponto a favor: o preço.

Esquema da capsula de um microfone Dinâmico

 

Cápsula de um microfone Dinâmico

 


3.2 CONDENSADORES

De forma similar aos dinâmicos, os microfones a condensadores também são muito comuns, sua estrutura é mais complexa que a do dinâmico e está construída da seguinte maneira:

Um diafragma de plástico revestido com um pequeno banho de ouro, montado sobre um metal condutivo, o diafragma e o metal estão separados por uma pequena capa de ar e formam um componente elétrico chamado capacitor ou condensador, uma voltagem polarizante entre 9 e 48v. É aplicada ao diafragma por corrente externa carregando-o com uma voltagem estática e fixa.

Esquema da cápsula de um microfone de Condensador

 

Exemplo de microfone condensador

Quando o diafragma vibra em resposta a algum som se move próximo do metal posterior e quando isto acontece a sucede a carga elétrica que induz a placa de metal, a voltagem flutuante do metal posterior é então uma representação do movimento do diafragma.

Os elementos de um microfone a condensador produzem um sinal de voltagem sem quase nenhuma energia, por isso apresentam uma grande impedância (já que os elementos que formam a estrutura de um microfone a condensador, não representam apenas resistência ao som, ou se preferir às alterações de pressão do ar), por isso todos os microfones a condensador incorporam um amplificador, o qual conduz o microfone linearmente.

Os condensadores mais antigos continham tubos amplificadores e por isso fisicamente eram grandes, os modernos são diferentes já que usam amplificadores eletrônicos e podem ser fabricados com um tamanho bem menor (existem também os de tubo, muito usados atualmente, apesar de que estes possuem preços quase inatingíveis).

A resposta de um microfone a condensador é geralmente excelente e são usados em quase todos os instrumentos em estúdio, uma das razões é porque o diafragma dos microfones a condensador não está construído em espiral (como os dinâmicos), e isso os faz responder mais rápido a qualquer som.

Quanto à qualidade de som os condensadores são os melhores não há dúvida nisso e este será o tipo de microfone que teremos que comprar caso desejarmos gravar com um mínimo de qualidade profissional, mas considere que estes microfones são os mais suscetíveis aos ruídos de fundo e ambiente. 


 

Copyright 2007 by MUSICAUDIO